Obs: Comunidade localizada em São Paulo capital,zona sul.

(Próximo de Interlagos)

segunda-feira, 12 de abril de 2021

YESHUA E O LENÇO.

 YESHUA E O LENÇO.


O LENÇO DOBRADO  -  Yochanan (João 20:7)




Por que Yeshua dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição?

Poucas pessoas prestaram atenção a esse detalhe.

Em Yochanan (João) 20:7 - nos diz que o lenço que fora colocado sobre a face de Yeshua, não foi apenas deixado de lado por ele, como os lençóis no túmulo.

A Bíblia reserva um versículo inteiro só para nos dizer que o lenço foi dobrado cuidadosamente por Ele e colocado na cabeceira do túmulo de pedra.


"Bem cedo, na manhã de domingo, Miryan Magdalá (Maria Madalena) foi à tumba e descobriu que a pedra da entrada havia sido removida. Ela correu ao encontro de Shimon kefá (Simão Pedro) e outro discípulo... aquele que Yeshua tanto amara (Yochanan -João) e disse-lhe: Tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde o levaram. Kefá (Pedro) e o outro discípulo correram ao túmulo para ver...O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá chegou primeiro. Ele parou e observou os lençóis, mas ele não entrou no túmulo. Shimon Kefá (Simão Pedro), chegou e entrou. Ele também notou os lençóis ali deixados, ENQUANTO QUE O LENÇO QUE COBRIA A FACE DE YESHUA ESTAVA DOBRADO, E COLOCADO EM OUTRO LADO".


Isto é importante? Definitivamente sim!

Isto é significante? Certamente que sim!


Para poder entender a significância do

lenço dobrado se faz necessário que entendamos um pouco a respeito da

tradição Hebraica daquela época.

O lenço dobrado tem a ver com o "SENHOR E O SERVO", e todo menino judeu naqueles dias conhecia essa tradição!


- Quando o servo colocava a mesa de jantar, ele buscava ter certeza em fazê-lo exatamente da maneira que seu senhor queria. A mesa era colocada perfeitamente - o servo esperava fora da visão dele até que o mesmo terminasse a refeição. O servo não podia nunca se atrever a tocar na mesa antes que o seu senhor tivesse terminado a sua ceia. Diz a tradição que: ao terminar a refeição, o senhor se levantava, limpava os dedos, a boca e sua barba, e embolava o lenço e o jogava sobre a mesa. Naquele tempo, o lenço embolado queria dizer:


"Eu terminei."


No entanto, se o senhor se levantasse e deixasse o lenço DOBRADO ao lado do prato, o servo jamais ousaria tocar na mesa porque o lenço dobrado queria dizer:


"Eu voltarei!"


Que delicadeza este gesto! Na palavra do Eterno, não tem nada sem sentido e significado! Yeshua estava dizendo o que minutos depois afirmou a Maria Madalana: "(ainda) não me toques" e:


EU VOLTAREI!


Haleluyah 🙌

quinta-feira, 8 de abril de 2021

Livrem-se do fermento da maldade.להיפטר מהחמץ הישן


 

quarta-feira, 7 de abril de 2021

O SANGUE É NECESSÁRIO PARA A EXPIAÇÃO DOS PECADOS?

 O SANGUE É NECESSÁRIO PARA A EXPIAÇÃO DOS PECADOS?

Por Dr. Eitan Bar


O motivo do sangue é tão forte, tão central e tão importante na Torah que é impossível separá-lo do motivo do sacrifício e expiação pelos pecados, que estão relacionados.
A Torah ensina que quando alguém peca, deve ser condenado à morte, ou que alguém ou alguma coisa precisa tomar seu lugar e morrer em seu lugar. Mas agora, uma vez que não há Templo, não há nem sacrifícios e nem sacerdotes, cada vez mais os rabinos modernos se recusam a reconhecer a importância e a centralidade do sangue para a expiação e perdão dos pecados. Os radicais entre eles exageram e vão ainda mais longe. Veja os ditos do Rabino Daniel Asor, por exemplo: "A obsessão do Cristianismo sobre o assunto 'expiação pelos pecados' por meio do sangue puro de outra pessoa, vem da idolatria pagã das religiões antigas." Rabi Asor encontrou uma maneira criativa de evitar lidar com a demanda de Deus na Torah, por um sacrifício de sangue como expiação pelos pecados, alegando que isso é paganismo e idolatria. Se isso é verdade, por que Deus exigiu isso do povo de Israel de forma tão clara?
Refutando objeções rabínicas a Yeshua e as Profecias Messiânicas:
EXPIAÇÃO DE SANGUE NA BÍBLIA
Desde o início, em Gênesis 3, quando Adão e Eva pecaram contra Deus, e antes que Deus os expulsasse do Jardim do Éden, Ele lhes mostra, pela primeira vez, o princípio da expiação de sangue sobre o qual todo A Torah será Sediada. Deus mata um animal, e de sua pele Ele faz roupas de couro para Adão e Eva, como está escrito: “E o Senhor Deus fez para Adão e para sua mulher roupas de peles e os vestiu”. (Gên. 3:21) Esta é a primeira vez que a morte aparece nas escrituras. Adão e Eva, pela primeira vez em suas vidas, foram expostos à morte, ao sangue que foi derramado como resultado do pecado que cometeram contra Deus.
Mais tarde, na véspera do Êxodo do Egito, era o sangue de um inocente cordeiro pascal, espalhado nas ombreiras e vergas das portas, que servia de sinal ao anjo da morte. Como está escrito em Êxodo 12,13:
“O sangue será um sinal para vós, nas casas onde estais. E quando eu ver o sangue, passarei por cima de você, e nenhuma praga cairá sobre você para destruí-lo, quando eu golpear a terra do Egito. ”
Em Êxodo 24, quando Deus fez a aliança no Monte Sinai com o Povo de Israel, o Povo de Israel passou pela purificação pelo sangue, e a aliança de Deus com o Povo foi feita com sangue: “E Moisés tomou metade do sangue e colocou em bacias, e metade do sangue jogou contra o altar. Então ele pegou o Livro da Aliança e o leu aos ouvidos do povo. E eles disseram: 'Tudo o que o Senhor tem falado, faremos e seremos obedientes.' E Moisés tomou o sangue e o lançou sobre o povo e disse: 'Eis o sangue do pacto que o Senhor fez com vocês. de acordo com todas essas palavras.'” (Ex. 24: 6-8)
A tradução de Onkelos, a tradução mais importante da Torah para o aramaico, que era usada nas sinagogas durante os primeiros séculos depois de Yeshua, incluía a palavra “EXPIAÇÃO” em Êxodo 24: 8: “E Moisés tomou o sangue e o jogou no altar para EXPIAÇÃO pelo povo. ”
Em Êxodo 30, o Yom Kippur, o Dia da Expiação é mencionado pela primeira vez na Torah: “Aarão fará expiação pelos seus chifres uma vez por ano. Com o sangue da expiação pelo pecado, ele fará expiação por isso uma vez por ano, nas vossas gerações. É santíssimo para o Senhor. ” (Ex. 30:10)
Você notou? Este versículo, que menciona o Dia da Expiação pela primeira vez, não menciona nada em relação à oração, às boas ações, ao jejum ou à caridade. Não há dúvida de que essas coisas são importantes e essenciais, mas a Torah só fala sobre sangue. Porque? Porque as cerimônias de expiação, estão fortemente ligadas ao sangue. SE TIRARMOS O SANGUE, NÃO HÁ SACRIFÍCIO, NEM EXPIAÇÃO, NEM PERDÃO DE PECADOS.
SÁBIOS JUDEUS RECONHECEM A IMPORT NCIA DO SANGUE PARA EXPIAÇÃO
Em Levítico 16, Deus explica a Moisés como os pecados do povo de Israel serão perdoados, tomando o sangue que foi oferecido no altar e aspergindo no propiciatório como expiação pelas iniqüidades e pecados do povo de Israel.
Até os Sábios reconheceram isso.
Yalkut Shimoni diz em Êxodo 29: “Não há expiação senão no sangue.”
No tratado Yoma 5a está escrito: “E ele porá a mão ... e isso será aceito por ele. A imposição da mão faz expiação por alguém? A expiação não vem pelo sangue? ”
O próprio Rashi disse: "Não há expiação sem sangue."
Os Sábios também reconheceram este princípio e o repetiram em Zevachim 6; Minchot 93; Sifra 4 e mais. E ainda, Rabi Asor chama o que Deus definiu na Torah como a única maneira de receber expiação e perdão pelos pecados como paganismo e idolatria.
POR QUE O SACRIFÍCIO DE SANGUE É ESSENCIAL?
O livro de Levítico, o livro que é dedicado em detalhes aos sacrifícios e expiação pelos pecados, fala sobre a expiação 49 vezes!
Cada vez, o contexto são os sacrifícios de sangue. Por que o sangue é tão importante para Deus?
Em Levítico 17:10, Deus ordena que não comamos sangue, e no próximo versículo, Ele explica por que o sangue é tão importante: “Porque a vida da carne está no sangue, e eu o dei por vocês sobre o altar para fazer expiação por suas almas, POIS É O SANGUE QUE FAZ EXPIAÇÃO PELA VIDA. ” (Lev. 17:11)
De acordo com Levítico 5, até mesmo os pobres, que não tinham dinheiro para comprar um animal e sacrificá-lo, precisavam trazer farinha excelente para o sumo sacerdote, e em que o sumo sacerdote absorvia a farinha? No sangue no altar, e então ele sacrificava. Então, o que acontecerá se um rabino vier e afirmar que o sacrifício de sangue é apenas uma das formas de perdão dos pecados, mas não a única?
Vamos citar novamente as palavras do Rabino Asor: "Existem vários métodos para obter perdão dos pecados, como arrependimento, oração e caridade... As ofertas de sacrifício é a forma menos preferida." Rabi Asor se contradiz, pois afirmou a princípio que este é um costume pagão de idolatria, mas agora ele está se comprometendo ao dizer que é possível obter o perdão dos pecados através da oferta de um sacrifício, mas que Deus não está realmente interessado nisso. A resposta para isso é simples, esta é uma desculpa moderna para esconder a necessidade de Yeshua de nós, o Messias cujo sangue foi derramado como um sacrifício pelos nossos pecados.
O pesquisador judeu, Professor Geza Vermes, escreveu: “De acordo com a teologia judaica, NÃO PODE HAVER EXPIAÇÃO SEM DERRAMAMENTO DE SANGUE”.
Também o professor Bruch Levin, em seu comentário sobre o Levítico, escreveu: “A expiação por meio de rituais de sangue sacrificial é um pré-requisito para garantir o perdão de Deus. Como os rabinos expressaram, não há expiação ritual exceto por meio de sangue."
Para concluir, o Rabino Asor e outros como ele, vão preferir contradizer os Sábios e até a Lei de Moisés, só para não ter que lidar com a demanda de sangue de Deus para o perdão dos pecados, e com o fato de que Yeshua o Messias, Ele é quem supriu essa necessidade. Yeshua não é apenas o Sacerdote que oferece um sacrifício por nós, mas Ele em Si mesmo, é o Sumo Sacerdote, que derramou Seu sangue em sacrifício pelos nossos pecados, de uma vez por todas.