"Do tronco de Jessé sairá um rebento, e das suas raízes, um renovo" – Isaías 11.1 Obs: Comunidade localizada em São Paulo capital.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

2A EPÍSTOLA DE DEUS AOS HEREGES E EQUIVOCADOS




Por Mauricio Zágari 
Meus queridos filhinhos e outros que pensam que são mas não são,
Hoje escrevo aqui a segunda epístola sobre os desvios e equívocos que tenho visto acontecer no seio da minha Igreja. Antes de mais nada, para que você não perca o contexto, sugiro que leia a recém-publicada “1a Epístola de Deus aos hereges e equivocados”, que meu servo Zágari postou aqui no APENAS. Bem, só pra lembrar, não estou escrevendo esta carta para deixar ninguém chateado nem para ofender quem quer que seja. Mas, como eu disse na 1a Epístola, entenda que estou escrevendo porque amo meus filhos e por isso me sinto na obrigação de protegê-los de tudo aquilo que os afasta de mim.
Então resolvi escrever para os hereges e aqueles que, embora não sejam, me preocupam porque estão quase saindo dos trilhos.
E como fiz na 1a epístola, aviso aqui: esta é uma carta longa. Não é canônica. Mas é uma reflexão sobre as coisas que tenho visto e ouvido.
Pois bem, na minha 1a epístola eu terminei dizendo: “Estou começando a achar esse negócio de Igreja emergente meio esquisito…”. Vamos então falar sobre isso.
Igreja Emergente
Antes de qualquer coisa, deixa eu esclarecer: Igreja emergente não é heresia, preciso ser claro sobre isso. Se você não sabe o que é isso, dá uma lida neste post e vai entender direitinho: “Ozzy Osbourne, a igreja emergente e o futuro“. Só que esse grupo de filhos meus, bem-intencionados, pisa num terreno lodoso. Esse papo de ficar se misturando com a cultura secular pode levar a caminhos perigosos. Os conceitos da Igreja emergente em si não são anticristãos, mas em mãos erradas…ah, pode ter certeza que vão causar muito estrago.
Quer exemplos? Outro dia um pastor meu lá de São Paulo estava pregando e… usou um palavrão no meio da pregação. Será que ele e outros emergentes acham que eu estou de boa com esse uso de palavras torpes e ainda por cima no sagrado momento de exposição da minha Palavra? Eles realmente acham que isso me agrada? Hmmmm… De repente estão mais interessados em atrair gente jovem, falando essa linguagem jovem… mas que ofende muitos. Sei de muitos que saíram ofendidos certo dia da igreja desse meu servo porque ele falou palavrão na pregação. Agora, convenhamos… Palavrão? Tão querendo reinventar a roda? Não sabem que eu pedi que meus filhos falassem somente o que fosse para a edificação, que conversassem entre si com salmos e cânticos espirituais? Ou vocês acham que esse trecho da Bíblia é descartável? Palavrão em púlpito! Fala sério! Vocês estão ficando malucos??? É isso que vocês acham que vai levar a salvação aos jovens???
Durante dois mil anos a minha Palavra foi pregada com seriedade e reverência para jovens, crianças, velhos e adultos. Nunca, em todos esses séculos, houve necessidade de se adaptar à cultura secular, de ser “moderninho”. Acreditem vocês ou não, o MEU ESPÍRITO TEM PODER DE CONVENCER DO PECADO, DA JUSTIÇA E DO JUÍZO SEM PRECISAR DE ESTRATÉGIAS HUMANAS. Basta a proclamação das verdades bíblicas. Aí chegam os emergentes e acham que a Igreja tá velha demais pros jovens. Queridos, nossos jovens não vão se convencer porque você prega de calça jeans, usa gola rolê e faz charmosos vodcasts. Eles vão se converter simplesmente quando o Evangelho for proclamado aos seus ouvidos, for decodificado por seus cérebros, meu Espírito tocar seus corações e fazer aquelas verdades ganharem sentido. Quando eu os regenerar. Os justificar. Todo o resto é balela.
E tem mais uma coisa que eu queria que meus filhos “emergentes”, e “moderninhos” (eu acho tanta graça quando alguém acha que eu quero ser moderno…) soubessem: eu não vejo música secular como pecado. Dependendo da música, fiquem tranquilos, ouçam à vontade. Mas tem uns de vocês, emrgentes, abusando. Indo a shows de grupos e cantores que meu ex-querubim tem na palma da mão. Fala sério, outro dia um pastor de jovens (olha a influência!) disse no twitter que ficou triste porque não foi ao show do Ozzy Osbourne. Logo o Ozzy! Tem servos meus desses que dizem aquela frase ótima pra justificar um pecado: “Nada a ver”, que estão indo a shows dos Rolling Stones! Não aprenderam nada? E pra terminar esse papo de “não tem nada a ver”, eu fiquei estarrecido com a quantidade daqueles que vão domingo à igreja e me dizem “Senhor, Senhor” e no entanto foram ao show daquele grupo que canta “eu gosto de meninos e meninas” e “somos burgueses sem religião” no Rock in Rio. Peraí, passou batido? Deixa eu repetir: eles cantam “eu gosto de meninos e meninas” e “somos burgueses sem religião”. Será que o meu povo não presta atenção na letra daquilo que canta?
Por exemplo: tem uma banda que mistura circo com música e tal e tem umas músicas bem bacaninhas, mas outro dia eu estava ouvindo um grupo dos meus filhos cantando uma canção deles e aos pulos gritava “a fé que você deposita em você e só”. Peraí! Será que pelo menos pararam pra pensar que se você só deposita fé em você não está depositando fé em Jesus? E que sem fé em Cristo é impossível me agradar? Ou vir pra cá depois que partir da Terra? Sei não, tou começando a achar esse negocio de Igreja emergente muito esquisito. Se cuidem, hein?!
Desigrejados (ou adenominacionais, como preferem ser chamados, não quero ofender ninguém)


Read more: http://www.bisporenatosuhett.com/#ixzz1c6hYyLPK

Nenhum comentário: