"Do tronco de Jessé sairá um rebento, e das suas raízes, um renovo" – Isaías 11.1 Obs: Comunidade localizada em São Paulo capital.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Como Orar Pela Alma: Sua e de Outros — John Piper


Para pessoas pensativas, a maneira como oram por suas almas é governada por como elas acreditam que Deus age. Por exemplo, se eles acreditam que Deus muda as almas das pessoas para que então façam escolhas novas e corretas, então elas pedirão a Deus para que opere essas mudanças na alma através do evangelismo e discipulado. Mas nem todos refletem sobre amaneira que oram. Nem todos pensam sobre que tipo de visão de Deus está por trás da sua oração.
Então sugiro que primeiro aprendamos a orar pelas almas do mesmo modo que a Bíblia ora pelas almas. Se fizermos isso, então nossas orações provavelmente serão boas orações, e no processo também aprenderemos como Deus atua. Aqui está o modo como eu oro pela minha alma. Eu uso essas orações repetida vezes – por mim, por meus filhos e esposa, pelos anciãos e pela igreja. Essa é a parte central da minha vida de oração.
  1. A primeira coisa que minha alma precisa é uma inclinação a Deus e Sua Palavra. Sem isso nada mais de valor irá acontecer em minha vida. Eu preciso querer conhecer a Deus e ler a Sua palavra e aproximar-me Dele. De onde vem esse querer? Ele vem de Deus. O Salmo 119:36 nos ensina a orar, “Inclina o meu coração para os teus estatutos, e não para a ganância.”
  2. Então eu preciso ter os olhos do meu coração abertos para que, quando minha inclinação me leve à Palavra, eu veja o que realmente está lá e não apenas minhas próprias idéias. Quem abre os olhos do coração? Deus abre. O Salmo 119:18 nos ensina, “Abre os meus olhos para que eu veja as maravilhas da tua lei.”
  3. Depois, eu preciso que meu coração seja iluminado com essas “maravilhas.” Preciso perceber a glória nelas e não apenas fatos interessantes. Quem ilumina o coração? Deus. Efésios 1:18 nos ensina a orar: “Oro também para que os olhos do coração de vocês sejam iluminados.”
  4. Então, estou preocupado que meu coração esteja fragmentado e que parte dele ainda permanece na escuridão enquanto o resto está iluminado. Então anseio para que meu coração esteja unido para Deus. De onde vêm essa inteireza e unidade? De Deus. Por isso, o Salmo 86:11 nos ensina a orar, “Ensina-me o teu caminho, Senhor, para que eu ande na tua verdade; dá-me um coração inteiramente fiel, para que eu tema o teu nome.”
  5. O que eu realmente quero de todo esse compromisso com a Palavra de Deus e a obra do Seu Espírito em resposta às minhas orações é que meu coração esteja satisfeito com Deus e não com o mundo. De onde vem essa satisfação? Ela vem de Deus. O Salmo 90:14 nos ensina a orar, “Satisfaze-nos pela manhã com o teu amor leal, e todos os nossos dias cantaremos felizes.”
  6. Mas eu não quero apenas ser feliz em meu próprio mundinho privado com Deus. Eu quero que minha alegria seja a máxima possível para que se espalhe e se expanda para os outros. Eu quero ser forte em alegria. Isso me tornará resistente diante de ameaças e adversidades. De onde essa força e resistência vêm? Ela vem de Deus. Efésios 3:16 nos ensina a orar, “Oro para que, com as suas gloriosas riquezas, ele os fortaleça no íntimo do seu ser com poder, por meio do seu Espírito.”
  7. Finalmente, eu quero minha força em Cristo produza boas ações para outros de forma que a glória de Deus seja vista em minha vida. Quem produz essas boas obras? Deus é quem produz. Colossenses 1:10 nos ensina a orar, “E isso para que vocês vivam de maneira digna do Senhor e em tudo possam agradá-lo, frutificando em toda boa obra, crescendo no conhecimento de Deus.”
Tudo isso eu oro “em o Nome de Jesus.” Porque Deus concede essas coisas à minha alma apenas porque Jesus morreu por mim e removeu a ira de Deus para que o Pai pudesse “juntamente com Ele, de graça, me dar todas as coisas” (Romanos 8:32).
Aprendendo a orar e aprendendo como Deus age,

Nenhum comentário: