"Do tronco de Jessé sairá um rebento, e das suas raízes, um renovo" – Isaías 11.1 Obs: Comunidade localizada em São Paulo capital.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

o amor seja sem hipocrisia.




Às vezes a ignorância pode ser uma benção. Não saber de fatos tristes do dia a dia no mundo, não saber de uma traição, não desmascarar uma mentira. Algumas destas vezes preferimos não saber a verdade por que ela dói, preferíamos permanecer na ignorância. Mas a ignorância religiosa não se trata apenas de uma questão cultural, não se trata de desprezar a cultura do próximo, trata-se do que vai ser de você quando morrer. Em busca da verdade toda a humanidade está, em busca de uma salvação eterna todos estão, mas quem está com a verdade? Existe um contraponto do cristianismo bíblico para todas as outras religiões e que as pessoas não se dão conta disso. Esse fator isola o cristianismo bíblico de todas as outras religiões e até mesmo de crendices populares, ou tramas culturais tradicionais. O catolicismo ensina que a salvação vem por meio das nossas obras, casamento, missa, batismo, nas procissões, na demonstração física (estúpida) de fé, etc. Os evangélicos pentecostais ensinam que não se salva quem não é batizado, quem não ora em línguas, e que perde a salvação se cometer pecado. O espiritismo ensina que as boas obras fazem com que nosso espírito ascenda a um nível superior após a morte. O mormonismo ensina que a prática dos parâmetros estabelecidos no livro dos mórmons proporcionará a salvação. Da mesma forma qualquer outra religião a salvação depende de uma forma ou de outra do ser humano, do seu esforço, da sua luta em ser aquilo que não é, puro moralismo sem fundamento. Mas o cristianismo bíblico mostra que na Bíblia o único meio de salvação é por meio da fé, que não é nossa é emprestada (cf. Hebreus 12.1-2), na graça imerecida do único e suficiente Senhor e Salvador Jesus Cristo (cf. I Timóteo 2.5 e Efésios 2.8-9). Mostra também que a salvação é um ato exclusivo da parte do Deus Triúno sem qualquer merecimento humano para obtê-la, muito menos de co-participação no processo salvífico. (cf. Romanos 8.29-30) . Graças a Deus por que a salvação daqueles que receberam a misericórdia de Deus para receberem a fé necessária para crer em Jesus Cristo como seu único Senhor e Salvador, não receberam por que mereceram, muito menos por que aceitaram a Cristo, antes, como disse Paulo, “nos escolheu nEle antes da fundação do mundo para sermos santos” (cf. Efésios 1.4). Se a salvação que recebemos dependesse de nós, mesmo que em uma mínima parte, estaríamos todos, sem qualquer exceção na humanidade, condenados ao inferno e ao lago de fogo e enxofre, por que todas as nossas ações que achamos serem as mais inocentes e justas, diante de Deus não passam de trapos da imundícia (cf. Isaías 64.6). Dizendo de outra maneira, o cristianismo bíblico nos mostra que a salvação não depende em absolutamente nada do ser humano. E glória a Deus por isso, por que se dependesse... ai de nós. E isso é completamente distintivo do cristianismo bíblico para qualquer outra religião no mundo. A ignorância por conveniência não consegue romper com o legalismo e as tradições cegas e infundadas, não consegue enxergar estas verdades na Palavra de Deus, preferem não saber, não ler a Bíblia e pensar, mas preferem continuar crendo (cf. crendice) naquilo que um reles pastor fala, naquilo que um reles padre ensina, naquilo que um reles papa define como verdade, ou que um louco que disse ter visto um anjo e recebeu a revelação de Deus, ou qualquer outra coisa parecida. Se esquecem que o Senhor Jesus afirmou com todas as letras: “Pai, santifica-os na verdade, a tua palavra é a verdade” (João 17.17). A Palavra de Deus, a Bíblia, é o fundamento, ela é a rocha que nos assegura a verdadeira informação que nos conduz à salvação em Cristo Jesus. Louvado seja Deus por Sua Santa e inerrante Palavra.

Nenhum comentário: