"Do tronco de Jessé sairá um rebento, e das suas raízes, um renovo" – Isaías 11.1 Obs: Comunidade localizada em São Paulo capital.

segunda-feira, 8 de abril de 2019

O QUE OS RABINOS ANTIGOS FALAVAM SOBRE O MESSIAS E A MALDIÇÃO DE JECONIAS?

O QUE OS RABINOS ANTIGOS FALAVAM SOBRE O MESSIAS E A MALDIÇÃO DE JECONIAS?
Texto postado por Yahshar Avraham
Neste estudo vamos começar falando da maldição posta sobre a linhagem de Jeconias a qual o Judaísmo contemporâneo declara e cita para desqualificar a Yeshua como o Messias.
Neste estudo vamos investigar o que a Toráh e a Tanach tem para nos dizer concernente a estes assuntos, e também o que disse os mais antigos sábios do Talmud e outras autoridades de fontes rabínicas sobre este tema. Vamos começar por Jeremias 22
Jeremias 22:30 Assim diz o Senhor: Escrevei que este homem está privado de filhos, homem que não prosperará nos seus dias; porque nenhum da sua geração prosperará, para se assentar no trono de Davi, e reinar ainda em Judá.
Esta é uma maldição de três aspectos que declara:
1° - Jeconias morrerá sem filhos:
2° - Ele não prosperará:
3° - Que sua descendência não prosperará no Trono de David:
Ou seja, que isto elimina todas as possibilidades que o Messias pudesse chegar por meio de Salomão. Porém em 1 Crônicas está escrito algo interessante:
1 Crônicas 3:17 E os filhos de Jeconias: Assir, e seu filho Sealtiel.
1 Crônicas 3:18 Os filhos deste foram: Malquirão, Pedaías, Senazar, Jecamias, Hosama, e Nedabias.
Aqui está indicando que a primeira maldição foi retirada. Também encontramos em 2 Reis mais a respeito:
2 Reis 25:27 Depois disto sucedeu que, no ano trinta e sete do cativeiro de Joaquim, rei de Judá, no mês duodécimo, aos vinte e sete do mês, Evil-Merodaque, rei de babilônia, no ano em que reinou, levantou a cabeça de Joaquim, rei de Judá, tirando-o da casa da prisão.
2 Reis 25:28 E lhe falou benignamente; e pôs o seu trono acima do trono dos reis que estavam com ele em babilônia.
Aqui está mostrando que a segunda maldição que foi levanda contra Jeconias também foi retirada.
O Talmud em Yalkut e explica porque estas maldições foram retiradas:
"Nabucodonosor tomou a Jeconias e o colou na prisão. Ele conciliou religiosos judeus e se reuniu para considerar este assunto, porque temia que o Reino de David chegasse a seu fim de quem está escrito; "A sua semente durará para sempre, e o seu trono, como o sol diante de mim" Salmos 89:36
"O que podemos fazer para ajudar? Para que as Sagradas Escrituras possa se cumprir? Suplicaremos a rainha e a rainha suplicará ao rei"
Isto indica que os sábios antigos compreenderam que se a maldição Sobre Jeconias não fosse retirada, então a esperança para um Reinado Messiânico chegaria a seu fim, porque previamente à maldição Jeconias era o único rei que estava qualificado para ser portador da semente do Mashiach que viria.
O Yalkut continua com o rabino Shabtai que disse: "Jeconias não deixou a prisão até que se arrependeu por completo, e Adonai lhe perdoou e sua esposa ficou grávida como está escrito: "Assir, e seu filho Sealtiel. "
Sealtiel significa "Pedi a Elohim" E Assir significa "Prisioneiro"
Os rabinos da antiguidade compreenderam que isto significa que Jeconia pediu a Elohim que lhe perdoasse enquanto ele esteve na prisão, e o Eterno demonstrou seu perdão lhe dando filhos. E como consequência, os líderes ao voltarem da Babilônia nomeou a Jeconias para que ele fosse seu príncipe.
Os rabinos da antiguidade tinha uma expectativa mais ampla, pois que se o Eterno retirou as primeiras duas maldições, então quem sabe Ele também retiraria a terceira para que a esperança do Reinado Messiânico continuasse. E em Zacarias 4 esta escrito sobre Zorobabel que era descendente de Jeconias:
Zacarias 4:7 Quem és tu, ó grande monte? Diante de Zorobabel tornar-te-ás uma campina; porque ele trará a pedra angular com aclamações: Graça, graça a ela.
Zacarias 4:9 As mãos de Zorobabel têm lançado os alicerces desta casa; também as suas mãos a acabarão....
Zacarias 4:10 Porque, quem despreza o dia das coisas pequenas? Pois esses se alegrarão, vendo o prumo na mão de Zorobabel...
Isto está mostrando que mesmo que a terceira maldição não houvesse sido retirada, o povo de Yisrael a luz da retirada das anteriores maldições tinha a esperança de que quem sabe a terceira seria também retirada. E isto está respaldado em 1 Crônicas 3:19-24 que reflete a única genealogia preservada e registrada depois da morte de Zorobabel, sendo esta a mesma genealogia de Zorobabel. E isto nos indica duas coisas:
1° - A ausência de qualquer outra genealogia fora da de Zorobabel depois da sua morte, demonstra que não existiu nenhuma expectação para a linhagem do Messias por meio de nenhum outro descendente de Salomão.
2° - A preservação de seis gerações da genealogia de Zorobabel depois da sua morte, demonstra claramente a continuidade da esperança do nosso povo na chegada do Messias através desta linhagem, a pesar da maldição.
Por tanto com a total certeza que da mesma maneira que o Eterno retirou as primeiras duas maldições, Ele também retiraria a terceira. E como resultado desta esperança, os judeus antigos continuaram diligentemente rastreando as genealogias que se ramificaram desta linha em particular até o tempo da destruição do Segundo Templo no ano 70 d.C. E como é evidente, hoje me dia nenhum descendente desta linhagem nunca subiu ao Trono de David. E o Talmud disse:
"O mundo sofrerá 6.000 anos e no milênio seguinte será destruído. Isto é, os inimigos de Adonai serão destruídos do qual está escrito: Somente Adonai será exaltado naquele dia. Como cada sete anos é a o ano da remissão, então dos sete mil anos do mundo, o sétimo milênio será os mil anos de remissão, para que Adonai seja exaltado naquele dia." Sanhedrin 96b – 99ª
Esta esperança é a conclusão a qual chegaram os sábios da antiguidade, declarando por tanto que o sétimo milênio será diferente aos outros. No Midrash Rabah sobre Gênesis
"O mundo existira por seis mil anos. Dois mil anos de desolação" (e no conceito Talmudico dois mil anos de desolação quer dizer dois mil anos sem Toráh). Dois mil anos com Toráh. E dois mil anos com Mashiach"
"No terceiro milênio que segue aos dois mil anos Messiânico, a ressurreição dos mortos ocorrerá como está em Oseias"
Oséias 6:1 Vinde, e tornemos a Adonai, porque ele despedaçou, e nos sarará; feriu, e nos atará a ferida.
Oséias 6:2 Depois de dois dias nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará, e viveremos diante dele. " Talmud Sanhedrin 97ª e 97b.
Esta expectativa do Reino Messiânico depois de quatro mil anos primeiramente, foi devido a profecia de Daniel que previu a vinda do Messias ao final da 69 semanas (Daniel 9:24-26) E como consequência desta profecia das 70 semanas (69 semanas de anos até o Messias, e uma semana de ano para o Pacto final). E os sábios situaram a vinda do Messias na primeira metade do primeiro Século UM. E o rabino Mosheh Avraham Levi declarou:
"Tenho examinado e indagado toda Escritura Sagrada e não encontrei o tempo exato para a Vinda do Mashiach, exceto nas palavras de Gabriel ao profeta Daniel no capitulo 9 da sua profecia."
O Targum dos profetas disse:
"E a Voz do Céu saiu e disse: Quem é aquele que tem revelado meu segredo a humanidade? Ele seguiu indagando a revelação pelo Targum do significado interno da hagiografia, porém uma Voz do Céu saiu e lhe disse: "Basta" E qual foi a razão? Porque a dada do Mashiach estava apontada nele." Migulah 3ª
A profecia de Daniel também declara que o Templo seria destruído em algum momento depois das 69 semanas, porém esta declarado em Nazir 32b aonde o rabino Yosef fala concernente o tempo do Segundo Templo:
"Se eu houvesse estado ali lhe teria dito: Não está escrito, o Templo de Adonai são estes o qual aponta a destruição do Primeiro e Segundo Templo?" Nazir 32b .
Ficando de acordo que eles conheciam que seria destruído, porém eles conheciam quando isto aconteceria? O rabino Abaye responde dizendo: "Eles não conheciam quando? Não está escrito que 70 semanas (de 7 anos) estão determinadas para o povo e para a Cidade Santa?"
Isto também está escrito no Yalkut Volume 2 pagina 79d que disse que esta profecia de Daniel era a que revelava a cronometragem da Vinda do Mashiach e da destruição do Templo.
E concernente as duas perspectiva do Mashiach, uma é Ben Yosef, e a outra é Ben David, e o rabino Yoshuah bar Levi disse o seguinte:
"E eis que vinha nas nuvens do céu um como o filho do homem" Daniel 7:13. E o outro versículo disse: "Eis que o teu rei virá a ti, justo e Salvador, pobre, e montado sobre um jumento" Zacarias 9:9. E se nós somos dignos o Mashiach virá sobre as nuvens do Céu, porém se nós não somos dignos, Ele virá humilde e montado sobre um asno." Sanhedrin 98ª
E ele continua dizendo: O fato de que nos foi somente permitido construir o Templo no tempo em que nós como nação éramos merecedores, e que o Eterno permitiu que nosso Templo fosse destruído quando éramos indignos, indicando que a destruição do Templo mencionada por Daniel será o resultado da indignidade da nossa parte.
"O Mashiach que descende de José aparecerá primeiramente para trazer salvação ao povo de Yisrael. Porém Ele será morto, e a completa Redenção se levará a cabo somente através do Mashiach descendente de Davi." Sukah 51ª
E continua dizendo: "No período do Mashiach descendente de Yosef a morte e o pecado seguirá existindo. Porém o período do Mashiach descendente de David prevalecerá uma nova ordem natural na qual a morte e o pecado não terão lugar."
Isto está mostrando que eles entendiam que o Mashiach Ben Yosef aparecerá primeiro e será morto, e que o Mashiach Ben David aparecerá depois. E que com o Mashiach Ben Yosef o pecado e a morte continuarão existindo no mundo, porque que com o Mashiach Ben David seguirá um mundo aonde nem o pecado e nem a morte existiram mais.
Gênesis 49:10 O cetro não se arredará de Judá, nem o legislador dentre seus pés, até que venha Siló; e a ele se congregarão os povos.
Siló é uma referencia ao Messias e o Targum fala sobre este significado dizendo: "A transmissão do domínio não cessará da Casa de Judá, nem os escribas dentre os seus filhos para sempre até que o Mashiach venha." Targum de Onkelos
"Reis não cessará da Casa de Judá até a Vinda do Rei Messias, a quem todas as autoridades da terra se subordinaram." Targum Yerushalmi
"O mundo foi criado para o bem do Mashiach. Qual é o Nome do Mashiach? A escola do Rabino Shila disse: "Seu Nome será Shiló porque está escrito: Até que venha Shiló. " Sanhedrin 98b.
E concernente a remoção do Cetro o Talmud declara:
"Um pouco mais de 40 anos anos antes da destruição do Templo, o poder de pronunciar sentenças capitais foi tirado dos judeus. Talmud Yerushalem folio 24 Sanhedrin.
"Quando os membros do Sanhedrin se encontraram privados do seu direito sobre a vida e a morte, uma consternação geral tomou posição deles, e eles cobriram suas cabeças com cinzas e seus corpos com saco e disseram: Quem estará para conosco porque o Cetro foi tirado de Judá e o Mashiach não veio? Talmud Babilónico, capitulo 24, folio 37.
Isto foi proclamado no tempo da vinda de Yeshua quando eles reconheceram que o Cetro tinha sido tirado deles, porém no lugar de receber a Yeshua como o Masgiach eles declararam: "O Messias ainda não veio". Pelo qual invalidaram a profecia e negaram os escritos dos sábios.
"40 anos prévio a destruição do Templo, a imposição da mão direira do Sumo Sacerdote sobre os sacrifícios das cabras havia cessado como foi previamente, e o cordão de cor vermelha colocada em Yom Kippur nunca mais ficou branco, o qual indicava o Perdão de Adonai sobre os pecados de Israel." Rosh Hashanah 31b
Isto também ocorreu nos dias de Yeshua, de fato no mesmo ano da morte e ressurreição de Yeshua.
"Neste mesmo tempo 40 anos antes da destruição do Templo, a luz ocidental não seguia acendida como foi anteriormente, e que as portas do Templo nunca mais se abriram por si mesma." Tratado de Yoma 39b:
Baseado nas passagem da Toráh citadas acima, dos profetas e dos escritos rabínicos da antiguidade, no Talmud e em outras fontes, podemos chegar a seguinte conclusão:
1° - Que o mundo durará Sete mil anos, e que o Sétimo Milênio será direfente de todos os outros. Sanhedrin 96b - 99ª
2° - Que o Mashiach virá depois de quatro mil anos, e que a era Messiânica que seguirá durará 2.000 anos. Midrash Rabá 98:3 sobre Gênesis.
3° - Que no Terceiro Milênio que segue os 2.000 anos da era Messiânica (o Sétimo Milênio), a ressurreição dos mortos se levará a cabo aonde viveremos na Presença do Eterno. Sanhedrin 97ª e b. Hosha (Oseias) 6:1-2
4°- Que o Mashiach depois de 4.000 anos virá na primeira metade do primeiro século DM. 69 semanas (483 anos) depois que o decreto foi dado para restaurar e reconstruir Jerusalém: Daniel 9:24 Rabino Moshe Avraham Levi. Targum dos profetas Meguilah 3ª
B – Que o Templo será destruído em algum momento depois das 69 semanas, e prévio ao pacto dos 7 anos do final das 70 semanas. Daniel 9:26 – Nazir 32b e Yalkut Volume 2 pagina 79d.
5° - Que o Mashiach virá pobre e montado sobre um asno se somos indignos, e a destruição do Segundo Templo indica que somos. E o Mashiach de fato veio assim. Sanhedrin 98ª. Daniel 7:13 e Zacarias 9:9.
6° - Que o Mashiach Ben Yosef virá antes que o Mashiach Ben David e será morto. E que o pecado e a morte continuaram existindo sobre a terra depois da sua morte. Sukkah 51ª
7°- Que o Cetro que foi tirado de Judá será um sinal que o Mashiach já veio. Gênesis 49:10 – Targum Onkelos – Targum Yerushalmi, Sanhedrin 98b.
8°- Que a primeira metade do primeiro século DM e previamente a destruição do Templo, o Sanhedrin reconheceu que o cetro foi tirado de Judá. Talmud Babilônico capitulo 24, folio 37; Talmud Yerushalem, Sanedrin folio 24.
9°- Que 40 anos prévio a destruição do Templo, a porção na destra do Sumo Sacerdote sobre os sacrifícios de bodes havia cessado, e o cordão de cor vermelha deixou de se tornar branco, as luzes ocidentais cessaram de estar acesas, as portas do Templo cessaram de abrir por si mesmas. Rosh Hashanah 31b. Yoma 39b.
Então de acordo a todos esses escritos da Toráh, dos Profetas, do Talmud e outras fontes do Judaísmo, o Mashiach devia vir na primeira metade do primeiro século DM, no tempo que foi tirado o Cetro de Judá, e previamente a destruição do Segundo Templo. Que Ele seria morto. Que o pecado e a morte seguiriam existindo no mundo depois da sua morte. E que a ressurreição dos mortos acontecerá 2.000 anos depois.
As evidencias para apoiar que estas coisas aconteceram são:
1° - Que o Sanhedrin na primeira metade do primeiro século DM admitiu que o cetro foi tirado de Judá, um sinal que o Mashiach havia chegado.
2°- Nos séculos 30 DM 40 anos prévios a destruição do Templo, no tempo da morte de Yeshua o cordão de cor vermelha nunca mais voltou a ficar branco, a porção dos bodes veio para a esquerda no lugar da direira, as luzes ocidentais deixaram de brilhar, e que as portas do Templo nunca mais se abriram por si mesmas.
3°- No ano 70 DM o Templo foi destruído como Daniel profetizou que aconteceria depois que as 483 semanas (483 anos) foram completadas, e que por tanto aconteceria depois que o Mashiach viesse.
Porém se o Mashiach não veio no meio do primeiro século d.m. como profetizou Daniel que Ele viria, e que os sábios judeus da antiguidade creram e afirmaram que viria, então Daniel seria um falso profeta. Como está escrito em Deuteronômio 18:22-22
Deuteronômio 18:20 Porém o profeta que tiver a presunção de falar alguma palavra em meu nome, que eu não lhe tenha mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá.
Deuteronômio 18:21 E, se disseres no teu coração: Como conhecerei a palavra que o Senhor não falou?
Deuteronômio 18:22 Quando o profeta falar em nome do Senhor, e essa palavra não se cumprir, nem suceder assim; esta é palavra que o Senhor não falou; com soberba a falou aquele profeta; não tenhas temor dele.
Porém se você e eu igual aos sábios antigos, todos sabemos que Daniel não era um falso profeta. E sim ele foi um profeta verdadeiro, todos sabemos que ele foi. Por tanto o Mashiach já veio, e isto aconteceu no primeiro século DM. Se o Mashiach não foi Yeshua, então quem foi?
A esta altura que não existe um só individuo na historia do nosso povo que se encaixe neste critério de maneira melhor que Yeshua de Natzareth. De fato nenhum outro sequer se aproxima. Toda desqualificação de Yeshua como Mashiach que meu povo apresenta parece estar baseada quase na totalidade da maldição de Jeconias.
Referente a isto, vamos esclarecer um ponto importantíssimo:
1° - Na linhagem apresentada por Mateus 1:16 não proclama a José como pai biológico de Yeshua, e porque? Porque este José que se menciona em Mateus 1:16 não é o carpinteiro esposo de Miriam, porque a palavra "Marido" foi mal traduzida da palavra original em Aramaico, a palavra que se usa ai em Aramaico é a palavra (גַּברָהּ) Gabrah que literalmente significa Guardião ou Tutor, e é diferente a que se utiliza em Mateus 1:19 aonde se refere a José o esposo de Miriam
יַעקוֹב אָולֶד ליָוסֶף גַּברָהּ דּמַריַם דּמִנָּהּ אִתִילֶד יֵשׁוּע
Mateus 1:16 E Jacó gerou a José, marido (gabrah) de Miriam, da qual nasceu Yeshua, que se chama o Messias.
Porque este José que se menciona em Mateus 1:16 não é o carpinteiro esposo de Miriam, porque a palavra "Marido" foi mal traduzida da palavra original em Aramaico, a palavra que se usa ai em Aramaico é a palavra (גַּברָהּ) Gabrah que literalmente significa Guardião ou Tutor, e é diferente a que se utiliza em Mateus 1:19 aonde se refere a José o esposo de Miriam
יָוסֶף דֵּין בַּעֲלָהּ כֵּאנָא הוָא. ולָא צבָא דַנפַרסֵיהּ
Mateus 1:19 Então José, seu marido (baalah), como era justo, e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente.
Desta maneira resolvemos dois grandes mal entendidos e aparentes contradições do Novo Testamento, já que em Lucas 3 se menciona a genealogia de José o que recebe a Yeshua como seu filho, com outra genealogia totalmente diferente:
Lucas 3:23 E o mesmo Jesus começava a ser de quase trinta anos, sendo (como se cuidava) filho de José, e José de Heli.
A diferença do que disse e em Mateus 1:16
Mateus 1:16 E Jacó gerou a José, marido (gabrah) de Miriam, da qual nasceu Yeshua, que se chama o Messias.
Assim que não pode ser o mesmo José, já que em Lucas disse que seu pai se chamava Eli, e Mateus disse que se chamava Jacó. De maneira que com a correção da tradução da palavra Marido de Mateus 1:16 pela palavra Guardião ou Tutor. Então se esclarece que a genealogia de Mateus 1 não é a de José o esposo de Maria, senão de Miriam mesmo, o qual tem lógica já que não teria sentido de que Mateus da a genealogia de José e depois diga que o nascimento de Yeshua foi sem sua participação biológica. Alem do mais se esclarece o erro na conta das 14 gerações desde a deportação a Babilônia até o Messias, já que a única maneira de que a conta nos de 14, e assim contamos a José como pai ou tutor de Miriam como a 12 gerações, e com Miriam 13 gerações e com Yeshua 14 gerações.

Nenhum comentário: