Obs: Comunidade localizada em São Paulo capital,zona sul.

(Próximo de Interlagos)

terça-feira, 30 de março de 2021

CONTEMPLEM A YESHUA: O CORDEIRO DE PÊSSACH DE DEUS.

 CONTEMPLEM A YESHUA: O CORDEIRO DE PESSACH DE DEUS.



Por Chosen People Ministries
Você já ouviu uma notícia maravilhosa que o deixou estupefato e boquiaberto de espanto? Os que estavam na presença de Yochanan, o imersor devem ter experimentado exatamente isso ao ouvir suas palavras registradas em Yochanan 1:29: “Eis! O Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo! ”
Mas o que Yochanan realmente quis dizer? Uma breve pesquisa sobre o Cordeiro e sua identidade multifacetada nas Escrituras e no mundo judaico pode nos trazer uma compreensão mais profunda do cumprimento das palavras intrigantes de Yochanan pelo Messias.
O substituto sacrificial em Gênesis
As ovelhas estão entre os primeiros animais domesticados do mundo e não é surpreendente que desempenhem um papel proeminente na antiga cultura nômade descrita no Livro do Gênesis. As primeiras referências ao Cordeiro como sacrifício estão na poderosa história de Avraham e Yitzhak. Gênesis 22 nos diz que Deus testou Avraham, ordenando-lhe: “... Pega agora teu filho, teu único filho Yitzhak, a quem amas, e vai para a terra de Moriá, e oferece-o ali como holocausto em uma das montanhas de que eu te direi ”(Gênesis 22: 2).
Há um mundo de comunicação silenciosa na troca entre pai e filho quando Yitzhak perguntou: "Onde está o cordeiro para o holocausto?" Já houve uma maior afirmação de fé do que a resposta de Avraham? “Meu filho, Deus proverá para Si o cordeiro para o holocausto” (Gênesis 22: 7-8).
Sabemos que o Anjo do Senhor parou a mão de Avraham e que Yitzhak - um precursor messiânico em sua submissão obediente - foi poupado. Mas o carneiro, um carneiro adulto, foi sacrificado em seu lugar.
O cordeiro pascal
Em seguida, encontramos o Cordeiro como uma presença de cobertura sacrificial no Livro do Êxodo. Até hoje, o relato registrado em Êxodo 12 é lido nas mesas judaicas nas celebrações da Pessach em todo o mundo.
“Fala a toda a congregação de Israel, dizendo: 'No décimo dia deste mês cada um tomará para si um cordeiro, segundo a casa de seu pai, um cordeiro para o agregado familiar ... Depois, toda a assembleia da congregação de Israel o matará no crepúsculo. E tomarão um pouco do sangue e o porão nas duas ombreiras e na verga das casas onde o comerem '”(Êxodo 12: 3, 6, 7).
Enquanto os filhos de Israel aguardavam sua libertação da escravidão ao Faraó, eles viram o terrível poder do Senhor e Seu julgamento sobre os egípcios.
No registro da Última Ceia (Seder de Pessach) da Brit Chadashá, parece bastante razoável, como muitos estudiosos atestam, fazer a conexão entre as palavras de Yochanan, o imersor em Yochanan 1:29 e as palavras da Bessorá (Evangelho) em Yochanan 19:36. As palavras, “Porque estas coisas foram feitas para que a Escritura se cumprisse,‘ Nenhum dos Seus ossos será quebrado ’”, são uma referência explícita ao Cordeiro Pascal em Êxodo 12:46.
Quando chegamos ao período do Segundo Templo, o número de cordeiros sacrificados em Pessach nos parece impressionante. O historiador Josefo afirma em A Guerra Judaica que no ano 66 DC havia 256.500 cordeiros sacrificados em Pessach. Mesmo se considerarmos que este é um número inflado, apenas um décimo desse número é dificilmente imaginável.
Mas nos dias de Yeshua, o Cordeiro já significava muito mais do que um simples sacrifício de sangue - e o significado expandido deste símbolo já poderoso pode fornecer uma chave para nossa compreensão do que as palavras de Yochanan poderiam ter significado para seus ouvintes.
O Cordeiro na Literatura Pseudoepígrafa
O Cordeiro de Deus é uma imagem bíblica conhecida de sacrifício e submissão. Pensamos no “cordeiro levado ao matadouro” messiânico em Isaías 53: 7, por exemplo. No entanto, na época da Brit Chadashá, o Cordeiro havia adquirido uma dimensão adicional - uma de triunfo!
A imagem do Cordeiro de Deus triunfante aparece na literatura apocalíptica das Pseudepígrafas, escritos nos períodos intertestamentário e da Brit Chadashá. Esta era de tumulto, que também produziu os Manuscritos do Mar Morto, foi carregada de expectativa messiânica.
Uma dessas obras, O Testamento de Yosef, contém o versículo “Fazei, pois, meus filhos, observai os mandamentos do Senhor e honrai Levi e Yehudá; porque deles se levantará a vós o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo, aquele que salva todos os gentios e Israel ”(2 Yosef 77). A semelhança dessas palavras com as de Yochanan, o imersor é impressionante.
Talvez a obra mais conhecida em que a imagem do Cordeiro vitorioso é encontrada seja o Primeiro Livro de Enoque. Esta obra, escrita antes do primeiro século DC, tinha muito peso na época em que a Brit Chadashá foi escrita, e é até citada na Epístola de Yehudá (Judas 14-15).
Embora os estudiosos possam debater os pontos delicados, essas fontes fornecem um contexto para a compreensão do quinto capítulo do Livro do Apocalipse - a imagem mais poderosa das Escrituras do Cordeiro triunfante. Aqui, o Cordeiro de Deus é revelado como o servo sofredor, ressurreto e triunfante do Eterno - ninguém menos que Yeshua, o Messias.
“E olhei, e vejam, no meio do trono e dos quatro seres viventes, e no meio dos anciãos, estava um Cordeiro como se tivesse sido morto ... Então olhei e ouvi a voz de muitos anjos ao redor do trono, as criaturas vivas e os anciãos; e o número deles era dez mil vezes dez mil e milhares de milhares, dizendo em alta voz: 'Digno é o Cordeiro que foi morto para receber poder e riquezas e sabedoria, e força e honra e glória e bênção!' ” (Apocalipse 5: 6,11-12).
O Cordeiro Pascal e a Redenção do Mundo
A imagem do sofrimento sacrificial e da vitória triunfante talvez seja mais plenamente realizada nas palavras de Apocalipse 13: 8- “... o Cordeiro morto desde a fundação do mundo”.
Agora vemos a redenção de Deus em ação não apenas através dos olhos dos filhos de Israel entregues no Êxodo, não apenas através dos olhos daqueles que testemunharam o terrível poder da ressurreição no túmulo vazio, mas como se através dos olhos do próprio Senhor na criação. Vemos a redenção, se você quiser, como um bloco de construção fundamental da realidade.
A história dessa visão arrebatadora é predita nas Escrituras, demonstrada em Pessach e cumprida no madeiro e na Ressurreição. Pois Yeshua é verdadeiramente o Cordeiro de Deus, cujo sangue pagou por nossos pecados e comprou nossa salvação.

Nenhum comentário: