Obs: Comunidade localizada em São Paulo capital,zona sul.

(Próximo de Interlagos)

quinta-feira, 5 de agosto de 2021

QUANDO O MESSIAS DEVERIA VIR?

 QUANDO O MESSIAS DEVERIA VIR?

Através do profeta Daniel que recebemos um cronograma de quando o Messias iria aparecer:(Daniel 9: 24-26) “Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo e sobre a cidade Santao para cessar a transgressão, para pôr fim ao pecado, para expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santíssimo Conhecer e compreender isso;.. a partir da emissão do decreto para restaurar e reconstruir Jerusalém até que o Príncipe Ungido (O Messias) venha, haverá sete semanas e sessenta e duas semanas. Depois das sessenta e duas semanas “O MESSIAS SERÁ CORTADO (MORTO) e já não haverá lugar para ele. O povo do príncipe que há de vir (Roma), destruirá a cidade e o santuário o fim virá como uma inundação:.. a guerra continuará até o fim, e desolações ter foram decretadas. “A Daniel é dado o tempo previsto para:a) o decreto da reconstrução sobre a cidade e o Templo, b) o tempo que levaria para o Messias a aparecer após este decreto, bem como c) a destruição do Templo e do fim da vida do Messias. Várias datas foram dadas como ponto de partida para o período de tempo mencionado no livro de Daniel (7 * 7 = 49) + (62 * 7 = 434) – total = 483).Uma data assim é o decreto do rei Ciro para reconstruir o templo em 539 a.C. No entanto, nenhuma destas datas estão corretas, uma vez que as datas que são normalmente indicadas referem-se à reconstrução do Templo, e não da cidade. A profecia afirma claramente que o prazo começaria apenas quando saisse o decreto para a reconstrução da cidade e das suas paredes. O único decreto que se inscreve no contexto da profecia é o de Artaxerxes para Neemias em 444 a.C. (Neemias 2: 1-8), uma vez que este decreto incluiu a restauração da cidade e dos portões da cidade, bem como as suas paredes.A seguinte citação do livro “Evidência que Exige um Veredito”, de Josh McDowell, ajuda a ilustrar o incrível cronograma de Daniel: JPN Nota:”O calendário hebraico e babilônico naquela época usava um ano de 360 dias. O uso deste ‘ano profético’ nessas profecias é confirmado pela comparação dos 1.260 dias (Ap 11: 3, 12: 6) com os 42 meses (Ap 11: 2, 13: 5) e com o “tempo, tempos e meio tempo”, ou três anos e meio, como visto em Dan 07:25, 12: 7, Rev. 12:14).”Se Daniel está correto, o tempo desde o decreto para restaurar e reconstruir Jerusalém (Nisan 1, 444 a.C.) até a VINDA DO MESSIAS em Jerusalém é 483 ANOS (69 * 7), a cada ano igualando o ano profético judaico de 360 dias (173,880 DIAS NO TOTAL).O EVENTO QUE MARCARIA O FINAL DAS 69 SEMANAS É A APRESENTAÇÃO DO PRÓPRIO MASHIACH A ISRAEL COMO O MESSIAS PREDITO EM ZACARIAS 9:9. H. Hoehner, que pesquisou exaustivamente esta profecia em Daniel e as datas correspondentes, E calcula a data deste evento:”Multiplicando as sessenta e nove semanas de sete anos por cada semana por 360 dias dá um total de 173.880 dias. A diferença entre 444 a.C. e 33 d.C então é 476 anos solares. Multiplicando 476 por 365,24219879 ou por 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 45,975 segundos (há 365 ¼ dias em um ano), chega-se a 173,885 dias, 6 horas, 52 minutos, 44 segundos, ou 173,885 dias. Isso deixa apenas 25 dias para ser contabilizados entre 444 a.C. e 33 d.C. Ao adicionar os 25 dias a 5 de Março (de 444a.C.), chega-se a 30 de Março (de 33 d.C) que foi o dia 10 de NISAN em 33 d.C. ESTA É EXATAMENTE A DATA DA ENTRADA TRIUNFAL DE YESHUA, MONTADO NUM JUMENTINHO, EM JERUSALÉM. ‘ “(McDowell, p. 173)Esta profecia, mais uma vez prediz a morte brutal do Messias:”Depois das sessenta e duas semanas, O MESSIAS SERÁ CORTADO (yikaret) (MORTO) e já não haverá lugar para ele. O povo do príncipe que há de vir (Roma), destruirá a cidade e o Templo” (Cf. Daniel 9:26)O termo hebraico, YIKARET, implica uma morte súbita, violenta. Esta é uma descrição precisa da morte brutal de Yeshua na cruz. Outro aspecto surpreendente está relacionado com o fato de que o Templo foi destruído cerca de quarenta anos após a crucificação de Yeshua; cumprindo claramente predição sobre o “Templo”, mencionado em Daniel, SER DESTRUIDO LOGO APÓS A MORTE DO MESSIAS! Por isso que NINGUÉM MAIS ALÉM DE YESHUA PODE SER O MESSIAS, já que a profecia diz claramente que o Messias deve aparecer ANTES DA DESTRUIÇÃO DO SEGUNDO TEMPLO. A única pessoa que se encaixa nessa descrição é Yeshua Hamashiach, pois Ele é o único que alegou que sua morte foi essencial para fornecer a expiação que era ao mesmo tempo necessário para inaugurar a justiça eterna de Deus e para erradicar o pecado.Além disso, qualquer negação da messianidade de Yeshua é, essencialmente, uma negação da autenticidade de Daniel como um livro profético vez que a condição da profecia repousa sobre a chegada do Messias ANTES da destruição do Templo. No entanto, se Yeshua não é o Messias, então NECESSARIAMENTE, A PROFECIA DE DANIEL SE PROVARIA SER UMA PROFECIA FALSA, UMA VEZ QUE O TEMPLO JÁ FOI DESTRUIDO E O MESSIAS AINDA “NÃO TERIA CHEGADO”. Mas, uma vez que o peso dos acontecimentos históricos e dos cálculos matemáticos CONFIRMAM as profecias da Bíblia, então torna-se cada vez mais impossível negar o fato de que Yeshua é o Messias prometido.O SUPERTE RABÍNICO QUE CONFIRMAM QUE ESTA PROFECIA DE DANIEL SE REFERE AO MESSIAS:A confirmação adicional das conotações messiânicas de Daniel 9: 25-27 vem do próprio Talmud:”Em Daniel é entregue a nós no final [ ‘o tempo de Seu aparecimento e morte” – Rabi Jarchi]. DO MESSIAS” O Talmud também registra que sobre o tempo de destruição do Templo (70 dC) pelo general romano Tito, ACREDITAVA-SE QUE O MESSIAS JÁ TINHA VINDO, mas sua identidade foi OMITIDA DOS JUDEUS (COMO YOSEF AOS SEUS IRMÃOS NO EGITO), até que ELES SE TORNASSEM MAIS DIGNOS DE SUA APARIÇÃO! “(Frank Delitzch e Paton Gloag, O Messianismo de Yeshua / as profecias messiânicas do Mashiach.. [Minneapolis, MN;. Klock & Klock, 1983 rpt], pt 2, p 226)Rabino Moses Abraham Levi declarou: “Examinei as Sagradas Escrituras, e não encontrei o tempo para a vinda do Messias claramente estabelecido, A NÃO SER NAS PALAVRAS DE GABRIEL AO PROFETA DANIEL, QUE ESTÃO INSCRITOS NO NONO CAPÍTULO DA PROFECIA DE DANIEL.”Rabino Azarias afirma nas palavras de Daniel: “Para selar a visão e a profecia, e para trazer O MESSIAS, NOSSA JUSTIÇA.”Rabi Nachmonides afirma: “Este Santo dos Santos É O MESSIAS que é santificado mais do que os filhos de David.”Finalmente, nas palavras de Jonathan ben Uziel: “Que a “visão e a profecia ‘SEJAM CUMPRIDAS ATÉ O MESSIAS, O SANTO DOS SANTOS.”Isso novamente reforça o caso para a messianidade de Yeshua, já que Ele é a única pessoa que tanto alegou ser o Messias sofredor que iria morrer e que apareceu antes do ano 70 dC.De fato, o rabino Nehumias, que viveu 50 ANOS antes de Yeshua, é citado como tendo dito que o tempo dado por Daniel para o aparecimento do Messias NÃO PODERIA IR ALÉM DO QUE CINQUENTA ANOS! (DA DATA EM QUE ELE VIVIA.)VEJA: Outro fato surpreendente é que o Talmud admite que QUARENTA ANOS ANTES DA DESTRUIÇÃO DO TEMPLO (PRECISAMENTE A PARTIR DA DATA DA MORTE DE YESHUA), DEUS SE RECUSOU A ACEITAR OS ELEVADOS SACRIFÍCIOS SACERDOTAIS NO TEMPLO:”Nossos rabinos ensinaram que ao longo DE QUARENTA ANOS que Shim’on o Tzaddik serviu (como sacerdote) … o pano escarlate se tornaria branco. A partir daquela época, às vezes, tornavam-se brancas e às vezes não … Ao longo dos ÚLTIMOS QUARENTA ANOS, ANTES DO TEMPLO SER DESTRUIDO… o pano escarlate NUNCA MAIS FICOU BRANCO. ” (Yoma 39a-39b)É então uma MERA COINCIDÊNCIA que EXATAMENTE QUARENTA ANOS ANTES DA DESTRUIÇÃO DO TEMPLO, NO TEMPO DA MORTE DO MASHIACH, Yeshua, o Messias se ofereceu como o sacrifício final e perfeita, tornando nulos todos os outros sacrifícios oferecidos pelo Cohen ha-gadol (o sumo sacerdote)? O Talmud alude a razão por que Deus permitiu que o Templo ser destruído:”Por que foi o segundo Santuário destruído, vendo que, no seu tempo, eles ocuparam-se com o estudo da Torá, obedecendo mitzvot e praticando a caridade? Porque nele prevaleceu o ÓDIO SEM CAUSA.” (9b Yoma)Isto ecoa muito nas próprias palavras de Yeshua como registrado no Evangelho de João:”Mas agora eles (o conselho governante judeu) tem visto esses milagres e ainda assim tem odiado tanto a mim como a meu Pai, mas isso é para se cumprir o que está escrito na sua Lei:. ‘. ELES ME ODIARAM SEM MOTIVO.'” (João 15: 24b -25)Assim, a evidência a partir dos comentários rabínicos aponta para a mesma conclusão inevitável. A saber, que Yeshua de Nazaré é o Messias profetizado. Para tornar o caso para a messianidade de Yeshua que muito mais forte, nós fornecemos as profecias adicionais e sua realização na vida de Yeshua.Gênesis 49:10: “O cetro não se arredará de Judá, nem um legislador dentre seus pés, até que venha Shiloh.”Targum Onkelos afirma: “Aquele que exerce domínio não passará da casa de Jehuda, nem o saphra de filhos de seus filhos ATÉ QUE O MESSIAS VENHA.”Além disso, o Targum de Jerusalém declara que, “Reis não cessarão da casa de Jehuda … até o momento em que o REI MESHICHA venha … Quão belo é o REI MESHICHA que vem da casa de Jehuda.”Finalmente, o Targum Palestino indica: “Os reis não cessarão, nem o governantes da casa de Jehuda … nem os sapherim (escribas) ensinarão a lei da sua semente, até o tempo em que O REI, O MESSIAS virá, que vai surgir a partir de Jehuda.”De fato, UM DOS NOMES DO MESSIAS É SHILOH, um nome derivado dessa mesma passagem: R. Johannan perguntou qual era o nome do MESSIAS; eles da escola de R. Schilo responderam: “Seu nome é SHILOH, de acordo com o que está escrito, ‘ATÉ QUE VENHA.” (Sanhedrin 98b)Assim, de acordo com esta passagem, duas coisas aconteceriam após o aparecimento do Messias:1. Remoção do cetro ou identidade de Judá.2. A supressão do poder judicial.NOTA: Embora Israel sofreu 70 anos de cativeiro sob o domínio da Babilônia, ele nunca deixou de ter o seu “staff tribal”, já que eles ainda tinham os seus próprios legisladores e juízes. (Cf. Esdras 1: 5, 😎 A remoção de cetro de Judá, veio durante o reinado de Herodes, o Grande, que, não tendo nenhum sangue judeu, sucedeu aos últimos líderes judeus reinando em Jerusalém; os príncipes de Judá macabeus. Em segundo lugar, o direito legal de se DECRETAR A PENA DE MORTE sobre os criminosos foi RETIRADO DOS JUDEUS em 7 d.C, Cerca de 23 anos antes da crucificação de Yeshua. ISTO ANULOU A SUA AUTORIDADE JUDICIAL para executar infratores.O Talmud em si mesmo admite isso: “… um pouco mais de QUARENTA ANOS, ANTES DO TEMPLO SER DESTRUIDO, O PODER DE PRONUNCIAR A PENA DE MORTE FOI TIRADO DOS JUDEUS.” (SANHEDRIN, Fol. 24, recto).Isso só confirma o CUMPRIMENTO PLENO DA PROFECIA DE GÊNESIS SOBRE A VINDA DE SHILOH, DO MESSIAS, E O FATO DESSA PERDA DE PODER TER ACONTECIDO COM OS JUDEUS É UM SINAL CLARO DE QUE O MESSIAS JÁ TINHA CHEGADO, e que exatamente naquela época era um menino judeu, com 12 anos, que vivia em Nazaré, cujo nome era Yeshua! (Para ler mais provas de que Exige um Veredito, vol. 1, pp.168-170)

Nenhum comentário: